Linha 6 - Brasilândia-São Joaquim

As atividades para instalação da Linha 6-Laranja de metrô de São Paulo foram iniciadas pela Concessionária Move São Paulo, vencedor da parceria público privada para construção e operação da linha. Os estudos de solo que antecedem as atividades preliminares para construção do poço VSE Tietê tem conclusão prevista para este trimestre. O VSE Tietê é um dos 20 poços de ventilação da linha. É por ele que entrarão em operação os dois shields (tatuzões) previstos para escavação e construção dos túneis da Linha 6-Laranja. A nova linha ligará a zona noroeste (Brasilândia) à região central (estação São Joaquim da Linha 1 - Azul) do município de São Paulo.

A estimativa é que a nova linha receba 634 mil passageiros por dia nas suas 15 estações. Serão atendidos os bairros de Brasilândia, Freguesia do Ó, Pompeia, Perdizes, Sumaré e Bela Vista, beneficiando diretamente mais de 2 milhões de moradores e uma região onde estão localizados importantes centros comerciais e instituições de ensino. Assim que estiver finalizada, o percurso total da linha de 15,3 km - hoje realizado em 1h30 de carro, em dias de tráfego normal -, será concluído em apenas 23 minutos pelos usuários da Linha 6-Laranja.

video
Assista o vídeo de apresentação da Linha 6-Laranja

A Concessionária Move São Paulo é responsável pela construção, sistemas, material rodante e operação da Linha 6–Laranja de metrô de São Paulo, na primeira Parceria Público-Privada (PPP) integral de transporte do Estado de São Paulo. A concessão teve inicio em maio desse ano e tem duração de 25 anos – 6 anos de construção e 19 anos de operação.

Dessa forma o Governo pretende oferecer a melhor opção de mobilidade urbana para São Paulo, por meio de um transporte que possui baixo impacto construtivo, reduzida emissão de carbono, agilidade, conforto e segurança aos usuários.

Após sua conclusão, a Linha 6-Laranja, estará integrada com as linhas 7-Rubi e 8-Diamante da CPTM, na futura estação Água Branca; com a Linha 4-Amarela, na futura estação Higienópolis-Mackenzie, e com a Linha 1-Azul, na estação São Joaquim. Também estará integrada com o sistema de ônibus nas estações Vila Cardoso e João Paulo I. A nova linha vai representar uma ampliação de 21% à atual rede do metrô paulistano.

Construção

Os túneis serão construídos utilizando três métodos construtivos: túnel convencional (1.8 km), um equipamento shield para rocha (3,2 km) e outro shield específico para escavação de solo (9,3 km).

As 15 estações serão construídas em duas modalidades: VCA, quando tiverem pouca profundidade, e NATM quando a profundidade for maior. Durante a construção, serão gerados 8 mil postos de trabalho. As obras físicas dos túneis têm início previsto para fevereiro de 2015 e conclusão estimada em 2020.

Trens

O material rodante será composto de trens com seis carros. Destacam-se a operação automática sem condutor (driverless), passagens entre os carros (permitindo o trânsito de passageiros de um vagão para outro), sistemas de climatização, sistema de multimídia (CFTV, rádio, voz), sistema de detecção e combate a incêndio, monitoramento por meio de câmeras e iluminação em LED. 

mapa geologia linha6

d linha6

Projeto da Estação Itaberaba da Linha 6


face

siga metro


face

siga cptm


face

siga emtu

  • transparencia
  • spbusca
  • cidadaosp
  • BannerAcesso
  • ouvidoria
  • fundap
  • viarapida
  • acessasp
  • banner-biblioteca-virtual
  • agasalho2013
  • investesp
  • banner diario-oficial
  • bec
  • cadterc
  • epregao
  • amigoidoso
  • desenvolvesp
  • artesp