Detalhe da notícia
|
Com oferta de R$ 553,8 milhões, Consórcio Via Mobilidade vence leilão de concessão das linhas 5 e 17 do Metrô
19/01/2018
Valor representa ágio de 185% sobre o lance mínimo definido em edital; A expectativa é de R$ 3 bilhões de investimentos e reinvestimentos dentro do prazo da permissão de 20 anos

São Paulo, 19 de janeiro de 2018. O Consórcio Via Mobilidade, composto pelas empresas CCR S.A. e RuasInvest Participações S.A., venceu a licitação de concessão das linhas 5-Lilás e 17-Ouro do Metrô ao oferecer outorga fixa de R$ 553,8 milhões, o que representa ágio de 185% sobre o valor mínimo atualizado de R$ 194,3 milhões, conforme definido no edital. O leilão foi realizado na manhã desta sexta-feira (19) na sede da B3 (antiga BM&FBOVESPA), no centro da capital.

A proposta concorrente, feita pelo Consórcio Metrô São Paulo, formado pela CS Brasil, do grupo JSL, e pela coreana Seul Metrô, foi de R$ 388,5 milhões. Para ampliar a concorrência a licitação foi feita na modalidade internacional.

O Consórcio Via Mobilidade será responsável pela operação comercial das duas linhas pelo período de 20 anos. O investimento inicial previsto do parceiro privado é de R$ 88,5 milhões para melhorias de infraestrutura na estação Santo Amaro. Ao longo de todo o prazo da permissão, a expectativa é de R$ 3 bilhões de investimentos e reinvestimentos.

O valor estimado do contrato é de R$ 10,8 bilhões, o que corresponde à soma das receitas tarifárias de remuneração e de receitas não operacionais, como exploração comercial de espaços livres nas estações, por exemplo.

É importante destacar que o ativo investido na construção das linhas e na aquisição de trens não está incluso na concessão, uma vez que não se trata de privatização.

Linhas 5 e 17 – Conhecida como a linha da saúde, a linha 5-Lilás terá 17 estações ao longo de 20,1 quilômetros, ligando Capão Redondo à Chácara Klabin, incluindo dois pátios de estacionamento e manutenção de trens.

A demanda estimada para a linha completa é de 850 mil passageiros por dia. O trecho fará interligação com as linhas 1-Azul, 2-Verde e 17-Ouro do Metrô, linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e três terminais integrados de ônibus.

Já a linha 17-Ouro, com tecnologia de monotrilho, integrará o aeroporto de Congonhas à rede metroferroviária da capital paulista. O trecho de 7,7 quilômetros de extensão compreenderá oito estações elevadas (Congonhas, Jardim Aeroporto, Brooklin Paulista, Vereador José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e Morumbi) e um pátio de estacionamento e manutenção, chamado Água Espraiada. Com demanda diária prevista de 200 mil passageiros, a linha 17 será integrada à linha 5-Lilás do Metrô e à linha 9-Esmeralda da CPTM.

Mais melhorias – Além da concessão das linhas 5 e 17, foi licitada, em dezembro do ano passado, a construção da estação Morumbi do monotrilho, que será elevada e integrada à estação de mesmo nome da CPTM, na marginal Pinheiros, e permitirá acesso rápido e gratuito à linha 9-Esmeralda da CPTM. A contratação também inclui obras de adequações na estação da CPTM, com a construção de um mezanino ao final da plataforma, além do acréscimo de duas escadas rolantes, elevador e uma escada fixa.

A estação Morumbi será a última do trecho prioritário da linha 17-Ouro. Atualmente, cerca de 900 pessoas trabalham nas obras de implantação desse trecho e do pátio de manutenção.